Fechar
Home Diretoria Executiva Regional de Osasco é piloto de novo modelo de gestão

Regional de Osasco é piloto de novo modelo de gestão

22 de outubro de 2021 Diretoria Executiva

A Diretoria Executiva e a Diretoria Regional de Osasco estão buscando um novo modelo de gestão que tem como objetivo aumentar a geração de receitas e atingir a autossuficiência financeira e administrativa da Regional, além de ampliar as opções de serviços aos associados.

Nesse sentido, a Regional está negociando uma parceria com uma escola de beach tennis, que fará uma adequação da quadra poliesportiva do Centro de Convivência (CC) para a prática do esporte e, assim, permitir a locação e aulas para terceiros. Com isso, a parceira pagará um valor mensal pela utilização do espaço, rentabilizando a infraestrutura do CC.

A parceria trará também vantagens para os associados, que, além de preservarem a prioridade no uso de CC, terão descontos especiais nas aulas de beach tennis.

“A ideia é que o parceiro utilize as áreas esportivas nos horários que não temos nenhum associado usando, o que hoje é um desperdício. Porém, nossos associados terão sempre prioridade, além de mais qualidade e novas opções de serviços para usufruir”, esclareceu José Bravo, diretor de Regionais da Afresp.

Pensando na autossuficiência financeira, o Diretor-Adjunto da Regional de Osasco, Claudio Issao Sakano, propôs a transferência, nos próximos meses, do escritório da Regional, que atualmente funciona em uma sala comercial no centro da cidade, para dentro do CC, gerando economia com despesas de infraestrutura e de locação.

A iniciativa da Regional de Osasco é um projeto piloto do Plano para Rentabilização de Ativos Imobiliários, proposto pela Diretoria Executiva e que está sendo aperfeiçoado pelo Conselho Deliberativo da Afresp. Dentre as ações desse Plano, estão previstas justamente a geração de negócios com locação de horários e instalações para exploração de terceiros e transferência, onde for possível, das atividades das sedes regionais para os CC’s. A partir da experiência em Osasco, espera-se construir um modelo que poderá ser replicado em outras regionais.

Para isso, segundo Bravo, o engajamento da Diretoria Regional é fundamental: “Em Osasco, os diretores regionais captaram a proposta da Diretoria Executiva e estão rapidamente construindo o novo modelo”.

Acompanhe aqui no site da Afresp os próximos passos dessa iniciativa da Regional de Osasco.