Fechar
Home Classista Afresp participa de evento na FGV sobre Lei Complementar da reforma tributária

Afresp participa de evento na FGV sobre Lei Complementar da reforma tributária

12 de abril de 2019 Classista

Na manhã desta quinta-feira (11), o Núcleo de Estudos Fiscais (NEF) da FGV Direito SP realizou um evento para apresentar o estado da arte da Lei Complementar do futuro Imposto Sobre Bens e Serviços (IBS). A proposta, elaborada pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF), foi debatida por convidados e acadêmicos do Direito. Na ocasião, a Afresp foi representada pelos afiliados Rodrigo Frota e Ângelo de Angelis. De acordo com o AFR Rodrigo Frota, o objetivo da proposta é, basicamente, otimizar e simplificar o sistema tributário nacional. “Entre os objetivos apresentados pelo CCiF, estão: diminuir o custo de conformidade das empresas, a inadimplência e a litigiosidade, e aumentar a arrecadação de tributos, permitindo uma redução do Custo Brasil, sem a diminuição do valor efetivamente arrecadado”, comentou o AFR. Frota ainda ressaltou que a presença da Afresp no evento é importante para trazer para dentro da associação o conhecimento das discussões desenvolvidas ali e deixar a classe informada sobre os acontecimentos. O AFR Ângelo de Angelis comentou que a proposta apresentada impacta diretamente à classe.  “Com a proposta, a classe de AFRs terá que repensar suas atividades, além de reorganizar a fiscalização direta e rever o uso de novos instrumentos de fiscalização. Seria uma nova forma de o AFR atuar”. Pontuou, Angelis.

Além dos AFRs e dos demais convidados, o evento contou com a presença do deputado federal pelo estado de São Paulo, Alexis Fonteyne, que compõe a Comissão de Finanças e Tributação na Câmara. O deputado apontou a proposta como sendo positiva, tanto para o contribuinte, quanto para a Estado. “Eu chamaria esta reforma de social, porque ela vai entregar um sistema tributário mais simples à população, que muitas vezes desiste do empreendedorismo no Brasil. O país precisa de um ambiente bom para se empreender, para todo mundo poder desenvolver seus negócios sem ter que ficar preocupado com o peso tão grande do sistema tributário brasileiro”, finalizou o deputado.